Bem Vindo

Olá! Bem-Vindo ao blog com sentimentos, pensamentos e emoções, aqui irás encontrar um pouco de nós, uma vez que...

"Um dia decidi que queria mostrar-te o que sinto... com o tempo percebi que, o mais importante na comunicação é quando também me disponho a ler o que sentes. Fica à vontade para partilhar comigo, espero-te ansiosamente" Carlos Silva*


quarta-feira, março 01, 2006

Acabou... Recomeço?


Curiosamente, à tantas coisas que acontecem por coincidência na nossa vida...
Quando criei este blog, apareceu um espaço para colocar o meu dia de aniversário, e por vontade propria lembrei me de colocar dia 27.02 para as pessoas nao me reconherem kando vissem esse campo... Então não é que depois de 3 meses de estar sozinho, a pôr os sentimentos no lugar e a acertar a minha vida, me apaixonei e comecei a namorar com uma rapariga no dia 27 de fevereiro...

Poderá querer dizer que nasci para um novo amor? Quem sabe...

Resta-me agora juntar tudo aquilo que ainda pertencia ao passado e guarda-lo num sitio onde ninguem saiba...

Por fim e para ver se arrumo este assunto de vez... vou colocar aqui a ultima carta que lhe escrevi... esta carta foi-lhe dada em 26 de setembro de 2005 e já houve mais acontecimentos depois desta carta mas acho que foi o momento crucial desse amor. Sei que apenas estou a arrumar a parte material, pois os sentimentos são algo que nos marca para sempre... mas não vão passar de meras recordações a partir deste momento.

A carta... tal e qual como foi entregue:


Tudo começou por uma brincadeira
Ela chamava-se ....., uma pita de 14 aninhos, do 8ºano que andava sempre com as amigas, sempre aos segredinhos, e eu ....., um puto de 15 aninhos, do 9ºano que adorava de jogar a bola.

Uma vez reparei nela na escola mas não liguei muito, disse só para mim próprio que ainda iria andar com aquela miúda.
Quando estava na piscina oceânica, uma cena organizada pela nossa escola, vi que ela também lá estava e decidi meter-me com ela. Escrevi-lhe num guardanapo do bar a seguinte frase... “põem-te à sombra que os bombons ao sol derretem”.
Ela ficou toda derretida enquanto não soube quem era. Mas quando o soube parece que perdeu o entusiasmo, se bem que na cabeça dela tava outro rapaz que ela gostava e que tinha conhecido há pouco tempo. Verdade seja dita que não me ligou nenhuma, apenas trocamos algumas msgs.

O verão passou-se e começaram de novo as aulas, ambos tínhamos passado de ano. Começa o novo ano e de trás vinham os namoros de verão. Até que a ...... começa a despertar as atenções por mim e eu achei que era um novo desafio e larguei os amores de verão. Foi então que no dia 12 de Dezembro de 2001, por volta das 16 horas, quando eu vinha no paredão me lembrei que ela estaria em cascais e a convidei pa dar um passeio. Foi a primeira vez que falamos pessoalmente e achei-a uma miúda muito querida. Beijei-a e perguntei-lhe se gostaria de namorar comigo. Mas só no dia 14 de Dezembro, sexta-feira, por volta das 12horas e 40 minutos, depois das aulas, que consegui tar com ela e enquanto eu de novo a beijava que ela disse que sim. Foi aí que toda a minha “desgraça” começou!!!

Começou um namoro que era uma aventura em que nenhum dos dois se conhecia. Tudo se dava ás mil maravilhas quando passado 2 meses começaram umas certas duvidas na cabecinha da minha miúda “a mais linda da escola”... será que ele gosta mesmo de mim, será que devemos continuar? E se depois eu me apaixono a sério?

Eu comecei a gostar dela a sério e disse-lho, e decidimos continuar.
Aos seis meses conheci uma rapariga em que senti uma pequena atracção, e a minha relação com a ....... acabou... mas passado 2 horas em que pensei o k estava a fazer, vi que realmente era da minha princesinha que eu gostava realmente e pedi-lhe para voltar.

A partir daí voltou tudo ao normal apesar de ter ficado algumas mágoas.
Pus na minha cabeça que era ela quem merecia realmente o meu amor e então lutei por ela... e comecei a amá-la. Nada mais, a partir desse momento me interessava. Fizemos amor a primeira vez no dia 1 de Agosto de 2002. Foi lindo, aliás tudo com ela era maravilhoso, desde os nossos passeios, às noites na praia, tudo! Ela passou a ser tudo para mim. Ela tinha medo que depois de o fazermos eu a largasse, mas depois de o ter feito com a rapariga mais especial do mundo ela passou a fazer parte integrante do meu ser. A partir desse momento nunca mais teve nada a apontar-me.


Passou-se um ano e de novo o verão, cheio de actividades em que eu me inscrevi e pedi-lhe pa vir comigo pa podermos tar juntos, mas não quis. Pois claro que depois eu tinha cenas pa fazer e não podia tar com ela, só ao fim da tarde. Até que se inscreveu num curso de mergulho, uma cena que eu nunca lhe tinha negado e que até achava giro. Pois... aquilo era só rapazes e como se fosse de estranhar, houve um mais engraçadinho que se meteu com ela. Ora se o namorado não podia tar com ela e se aquele rapaz até lhe dava muita atenção e tava sempre atrás dela, começaram as discussões na nossa relação... e acabamos de novo... e tentamos novamente...

Quem é que ficou na merda??? Pois acho que não vale a pena responder...
O pior de tudo é que tive de lutar pela pessoa que amava, até que... Descobri uma mentira, não sei se foi a primeira mas foi a primeira que soube. Tinha ido ao cinema com o tal amiguinho e disse-me que estava com a irmã a ver montras...

ok! muita coisa se passou que não me interessa tar a lembrar, o que interessa é que ficamos juntos novamente...
Passou mais um ano e tudo correu bem naquele verão. Apenas eu não tinha conseguido entrar na faculdade que queria, mas fiquei contente com uma coisa, ia tar com ela nas aulas, fantástico, lindo! Era um sonho... até que, quando eu comecei a ir ás aulas, ela pouco ou nada me ligava. Se fosse ao contrário toda a gente podia ter a certeza que ela iria passar a ser a minha disciplina, a matéria que iria estudar cada aula, que me sentaria logo o mais perto dela... Pois, pois, foi o que eu pensei, mas limitava-se apenas a olhar para mim lá do lugar a frente onde estava. Tive que me habituar à ideia de que ela fazia aquilo porque... nem sei... a vontade de ir às aulas era grande e passou a ser enorme quando ela me dizia um simples olá como bom dia... era óptimo ter a minha namorada fantástica loucamente apaixonada por mim, cada vez que me via... lá ao fundo da sala...

Bem tive que aceitar, que remédio... e depois de um ano assim, em que passava o dia em casa, à espera daquele momento à tarde em que podia tar com ela, as 2ª e 3ªfeiras e das tardes que passávamos juntos às 6ªfeiras... em que vivi praticamente com ela no pensamento, em que ela era a minha vida, em que pensei que agora vêm os exames e vou ajudá-la, para depois poder tê-la no verão... qual verão qual que?

Mesmo estando quase todos os dias com ela quando esteve doente, internada no hospital, em que só queria que ela ficasse bem, mesmo que ela me tivesse sempre a falar mal antes e depois de ir na viagem de finalistas, mesmo que ela se tivesse esquecido de mim e que quando chegou nem me ligou nenhuma, nem um braço me deu com aquelas saudades que as pessoas têm quando amam. Mesmo assim eu tive sempre com ela e a dar-lhe o amor e carinho que podia.

E depois de tudo o que fiz por ela ainda foi capaz de me fazer tudo aquilo que fez...

Acabar 3 dias antes do exame para o qual eu tinha estado um ano a estudar, coisa fantástica, tinha uma vontade de estudar enorme, mas safei-me.
Andou comigo sem ter a minina vontade de tar comigo, sem me dar carinho, amor...
Organizei um torneio de futebol e para além de não me ter ajudado em nada nem força me deu para o fazer. Foi-se embora com os amigos e só pensou no bem-estar dela própria.

Nunca pensou na minha felicidade nem que me estava a magoar. Era fácil para ela dizer que eu não podia ser assim tão obcecado por ela e que precisava de tar com os amigos, e a partir daí nunca mais me ligou nenhuma.

Lembrou-se de mim quando eu lhe mandei uma msg a dizer que iria seguir a minha vida e que não queria mais nada... e veio atrás de mim, expliquei-lhe que a amava mas que tudo o que se estava a passar me tinha magoado bastante e que precisava de um tempo pa esquecer aquilo tudo. Incrível como passado 4 dias já nada queria comigo outra vez, sim porque eu fui atrás dela novamente... e disse-lhe:

A dor que sinto por estar longe de ti e de não te poder ter é maior do que a ferida de tudo o que se passou.

Eu sempre fui ensinado na vida, a lutar por aquilo em que acredito e por aquilo que mais amo, e talvez por isso ainda sofra mais...
Ainda sofra mais... por não estar a conseguir lutar pelo teu olhar, pela tua atenção, pelo teu carinho, que é o que mais preciso. Preciso da tua companhia, e de pensar que ainda poderei viver mais momentos bons contigo.

Temos uma vida tão grande para viver mas eu sinto que, se neste momento eu morresse, o meu maior desejo era tar contigo, e se é isto que eu sinto, é isto que eu tenho de seguir, pois eu não sei o que poderá acontecer no minuto seguinte... é assim que eu quero começar a viver... a aproveitar cada momento da melhor maneira possível, mas para isso gostava que acompanhasses os meus dias, que olhasses por mim como antes o fazias.

Eu sei que muita coisa mudou, sei que te sentes mais solta e que o medo de me perderes talvez esteja adormecido, mas acredito que podemos tentar de novo, que falando sobre o que estava mal e tentando resolver tudo talvez as coisas resultem.
Eu estava com medo do que pudesse acontecer no futuro, mas isso é... futuro, e não podemos viver com medo a pensar no amanha, temos que viver bem o presente, cada momento.

Agora só espero que não seja só eu que esteja para aqui a chorar e a lamentar-me por não estar contigo.
Não me custa dizer-te tudo isto porque é aquilo que sinto, mas custa-me acreditar que poderás ouvir isto sem te sentires tocada.
Preciso que me digas o que sentes para resolvermos as coisas...

Isto foi tudo o que eu lhe disse (sexta feira, dia 26 de Agosto) mas a resposta...
A resposta foi: EU desisto de nós!
Foi a última coisa que ela disse sobre a nossa relação. E tudo acabou!
........ :
Tentei que tudo se resolvesse, lutei por ti com todas as forças mas o mundo que desejaste naquele momento foi mais forte. Parece que tudo o que tínhamos vivido até aquele momento não tinha significado nenhum.

Com uma simples frase, todos os meus sonhos transformaram-se em ilusão, dor e sofrimento por amar uma pessoa que não dava o mínimo de valor a tudo o que eu era capaz de fazer por ela. A minha alma ficou vazia, senti que algo de mim se tinha evaporado, que toda a muralha que tinha construído até ali se tinha desmoronado. Morri naquele exacto momento.

É tão difícil dizer a nós próprios que tudo aquilo que vivemos não passou de mais uma experiência na vida... é tão difícil convencer o coração que aquilo que mais amamos não quer saber mais de nós... e ainda mais doloroso é o facto de tentar mostrar tudo o que sentimos, de escrever e explicar o que nos vai no coração e de ver... na reacção da pessoa a quem nós entregamos tudo o que somos... ver indiferença!

Eu tomava-te como a melhor amiga, era a ti a quem eu contava tudo sobre a minha vida, a quem eu pedia ajuda quando algo corria mal e lá veio mais uma desilusão... quem é que me ia abraçar naquele momento em que mais precisava de um abraço? Quem é que me ia dar carinhos e dizer que estava sempre ali ao meu lado quando as coisas corressem mal?
Nunca tive ninguém, nenhum amigo verdadeiro que me abraçasse e me ajudasse a superar toda a dor. E por cima disto tudo ainda ficou a mágoa de ter deixado tanta coisa para trás por ti...

Perdi grande parte dos meus amigos e momentos bons que poderíamos ter vivido só pelo facto de te amar e querer estar contigo. Mas fui eu que o quis!

Eras tudo o que eu mais desejava, era a ti que pertencia o meu pensamento desde que acordava ate que adormecia... era a ti que pertencia o meu coração e toda a minha vida, tu eras a minha vida...

Ainda hoje sofro e sei que vou sofrer toda a vida. Foste o meu primeiro amor a sério, foi a primeira vez que eu me entreguei a alguém e como todos os primeiros amores... acabou! Mas custa-me tanto... só queria ter aquela princesinha aqui ao meu lado... para sempre...

Por te querer tanto acabei por te perder... quis ter-te só para mim e estraguei tudo, ao ponto de neste momento quereres estar apenas com os teus amigos e te esqueceres de mim.

Deixei de existir na cabeça de quem mais amava e isso é pior que morrer, é estar vivo sem vontade de viver, é morrer por dentro e sentir um enorme vazio. Um homem não deixa de viver quando morre mas quando deixa de amar...

Tenho presente uma música que descreve um pouco o que sinto... é uma música mas que diz muita coisa...aliás, com uma balada consegue-se transmitir sentimentos que não conseguimos mostrar na realidade.

Me pego remexendo em suas coisas e vou bebendo amargas horas de saudade e de silêncio. É como se o amor e a minha vida virasse uma fotografia de tudo o que nós dois vivemos. Enquanto os dias passam aumenta a minha angústia... a tristeza é tão vazia. Sem teu amor nada é igual, eu tenho medo... e essas paredes vão guardar todos os nossos segredos. Sem teu amor eu fico mal, como eu te quero! E cada dia sem você é mais um dia que te espero.
Aqui estou pedindo a sua volta, perdoe e por favor entenda que não suporto mais essa saudade. Aqui somente e simplesmente um homem que sofre com sua ausência e que te ama de verdade. Mas você foi embora, deixou essa distância, essa tristeza e sofrimento. Hoje é só solidão, o que foi amor agora é desilusão. Hoje é só por você que bate calado meu coração...
Te busco, te chamo, te quero... estou morrendo aos poucos longe de você, cercado de lembranças e de solidão. Te sonho, te amo, te quero... a vida não tem graça porque te perdi. Ficou somente a sombra do que um dia eu fui.

Passo os dias a pensar em ti, e não consigo de maneira alguma tirar-te da minha cabeça. Preciso de te esquecer, já que não me quiseste mais para ti, já que não precisas mais de mim. Preciso de morrer para renascer noutro alguém. Não posso mais esperar por uma pessoa que rejeitou todo o amor que eu sentia.

Quando eu precisei de amor, não podias.
Quando eu precisei que limpasses as minhas lágrimas, não quiseste saber.
Quando eu precisei de carinho, nunca estavas.

Porquê que amamos quem não devemos?
Porquê que as pessoas não dão o devido valor aquilo que têm?

Talvez um dia... Um dia quando mais precisares de amor ou carinho te lembres de mim. Te lembres quem esteve sempre contigo nos momentos mais difíceis e nos momentos mais importantes... te lembres de quem olhou por ti, de quem te sentiu no coração, de quem chorou e ainda chora, de quem te amou verdadeiramente, de quem era realmente capaz de dar a vida por ti!

Sempre fui humilde e principalmente sincero e por isso, a única coisa que gostava, a única... era ter o devido valor, era só isso... nada mais... Pode ser que um dia o venha a ter... quis ser o teu herói mas não passei de mais um na tua vida.

Amei-te sem saber como, nem quando, nem de onde
Amei-te directamente, sem problemas nem orgulho
Assim te amei porque não sei amar de outra maneira
Tão profundamente que a tua mão sobre o meu peito era a minha
Tão profundamente que quando cerravas os teus olhos eu adormecia.

Amei-te como nunca tinha amado
Sentia tua falta como nunca tinha sentido
Lutei por ti como nunca tinha lutado
Esperei por ti como nunca tinha esperado
Tudo por ti...
Tudo isto por amor...
Amor que só em mim existiu
Que em ti nunca chegou
Seria um amor lindo, se o mundo fosse só nosso
Mas o amor não é feito de “se” “se” “se”
O amor é feito de desgostos, alegrias, tristezas
Tristeza a que me deste quando disseste:
Não, não quero mais...

Ambos perdemos muito...
Eu perdi-te, porque foste a pessoa que mais amei na minha vida e tu perdeste a pessoa que mais te amou neste mundo.

Só queria dizer-te mais uma coisa...

Deixaste-me um passado com momentos bons mas também com muita mágoa. Destruíste-me o futuro na medida em que tornaste os meus sonhos uma completa ilusão e por fim sabes porque é que se chama presente a este momento? Talvez por isso mesmo por ser uma dádiva, um presente, mas conseguiste tornar o meu presente doloroso, cheio de sofrimento, por amar uma pessoa que deixou de me amar.

Mesmo depois de tudo isto queria agradecer-te, sabes que foste a rapariga que me ensinou a amar pela primeira vez, apesar de todo o sofrimento e de todas as lágrimas, sabes que nunca te esquecerei e que foste muito mas muito importante para mim, para além disto tudo terás para sempre um lugarzinho no meu coração, nunca deixarei de te amar. Obrigado!

Só espero agora que tenhas muitas alegrias e que encontres realmente a felicidade pela vida fora. Que tudo te corra pelo melhor, a ti e à tua família. Sabes que terás sempre aqui um amigo a quem podes pedir ajuda quando precisares, sem vergonhas, sem medos, um amigo de verdade. Acho que depois deste tempo todo que passaste comigo sabes que digo isto sentido.

Um grande beijo deste amigo eterno!



E assim foi... Espero que fique tudo enterrado com esta carta e que o meu coração ganhe forças para seguir este novo amor que está a porta...

Mais uma vez... Só quero ser Feliz! E que esta pessoa me ajude a perceber que o amor ainda tem muita coisa pa ser vivida.

Lágrima_Doce =)

2 comentários:

Anónimo disse...

Greets to the webmaster of this wonderful site. Keep working. Thank you.
»

Anónimo disse...

I find some information here.